Você está em: Início > Cursos > Mestrados > MAFPE

Mestrado em Atividade Física em Populações Especiais

Este curso encontra-se homologado no âmbito do Processo de Bolonha.

Estado de Bolonha:
Sigla: MAFPE
Grau: Mestrado
Início de Funcionamento: 2010/11
Coordenador: Rita Santos
:

Áreas Científicas

Diplomas

  • Mestrado em Atividade Física em Populações Especiais
  • Pós-Graduação em Atividade Física em Populações Especiais

Áreas Científicas

  • Atividade Física e Saúde
  • Pedagogia do Desporto
  • Psicologia e Ciências Sociais do Desporto
  • Análise e Movimento do Controlo Motor
  • Metodologia da Investigação
  • Trabalho de Projeto
  • Estágio ou Projeto
  • Fisiologia do Esforço

Planos de Estudo

Mestrado em Atividade Física em Populações Especiais

Apresentação:

As crescentes solicitações da área socioprofissional da Atividade Física e Saúde requerem uma formação especializada e aprofundada, no sentido de dar resposta aos objetivos e necessidades das populações-alvo que a caraterizam. Estes objetivos prendem-se essencialmente com necessidades, ao nível da melhoria das componentes da Condição Física, do Bem-Estar, e da Saúde, quer no âmbito da intervenção primária, como da intervenção secundária. Para que a formação se direcione para as necessidades do mercado, é essencial abordar as caraterísticas, os cuidados especiais, as necessidades, as motivações, as capacidades e os objetivos de um leque crescente de pessoas que procuram as atividades físicas formais, independentemente da idade e do seu estado de saúde e condição física.

Referimo-nos a cinco grandes grupos:

  1. A população adulta aparentemente saudável;
  2. As populações em fases especiais da vida, tais como as crianças, os idosos e as grávidas;
  3. As populações especiais com determinados problemas de saúde ou incapacidades, tais como, problemas do foro respiratório (por exemplo, a asma), problemas metabólicos (por exemplo, a diabetes e a obesidade), problemas músculo-esqueléticos (por exemplo, a osteoporose, a osteo-artrite, os problemas de coluna e os desequilíbrios posturais), problemas neuromusculares (por exemplo, esclerose múltipla, doença de Parkinson), e problemas cardiovasculares (por exemplo, doenças cardiovasculares, hipertensão), entre outros (por exemplo, mastectomia);
  4. As pessoas portadoras de deficiência;
  5. Os atletas, no que concerne à preparação física.

A intervenção dos profissionais da Atividade Física e Saúde centra-se no desenvolvimento de programas de atividades físicas variadas; na interpretação das informações fornecidas por outros profissionais da Saúde, da Nutrição e da Psicologia; na utilização de métodos e técnicas de Avaliação das componentes da condição física; na estratificação de risco e avaliação subjetiva; na adaptação das linhas orientadoras da Prescrição do Exercício; e na adaptação das várias formas de exercício físico às populações apresentadas anteriormente. Deste modo, torna-se necessário compreender a multidisciplinaridade da intervenção em Saúde Pública, conhecer os conceitos que estão associados a esta área do conhecimento, conhecer as bases do planeamento e os objetivos da implementação de projetos e/ou programas de Promoção da Saúde e Educação para a Saúde, com destaque particular para a relação com o Exercício e a intervenção do profissional de Desporto. Por outro lado, o conhecimento das determinantes da Saúde e dos comportamentos de Saúde implicam o levantamento de dados epidemiológicos e a compreensão sobre as técnicas que permitem o acesso aos mesmos. Da mesma forma, como contributo para a obtenção dos objetivos, satisfação e retenção dos praticantes é de relevar a importância da competência ao nível da intervenção pedagógica dos profissionais da área da Condição Física e Saúde, sobretudo ao nível de populações com necessidades especiais.

Guia do Estudante / Course Book

Objetivos:

É objetivo deste curso fornecer uma preparação teórica e prática consistente e atualizada, com base na investigação científica de referência, atendendo às tendências do mercado, no que se refere às formas de intervenção profissional com as designadas Populações Especiais.

Neste sentido, e de acordo com as orientações propostas no Despacho n.º 7287-C/2006 (2.ª série) (no seu Anexo IV.B, ponto 1) é apresentado um programa de forma a permitir que o formando adquira um conhecimento especializado, tendo em vista o cumprimento dos seguintes objetivos (considerando o disposto no Artigo 15.º do Decreto-Lei n.º 74/2006 de 24 de Março):

  1. Possuir e desenvolver conhecimentos e capacidade de compreensão sobre os objetivos, as necessidades, os benefícios do exercício físico; e os cuidados especiais a ponderar, relativamente às várias populações-alvo, recorrendo aos fatores e às linhas orientadoras da prescrição de exercício;
  2. Possuir e desenvolver conhecimentos e capacidade de compreensão sobre os programas de atividades físicas recreativas desenvolvidas especificamente considerando as fases especiais da vida;
  3. Possuir e desenvolver conhecimentos e capacidade de compreensão sobre a interpretação das informações fornecidas por outros profissionais da Saúde, da Nutrição e da Psicologia, no sentido de melhor desenvolver e adaptar os programas de exercício;
  4. Possuir e desenvolver conhecimentos e capacidade de compreensão sobre a estratificação de risco de eventuais problemas de saúde, sobre a avaliação subjetiva, e na utilização de métodos e técnicas de Avaliação objetiva das componentes da condição física;
  5. Possuir e desenvolver conhecimentos e capacidade de compreensão sobre a adaptação das linhas orientadoras da Prescrição do Exercício, recorrendo aos conhecimentos das ciências básicas do exercício, tais como, a fisiologia do esforço, o controlo motor, a psicologia e a biomecânica;
  6. Possuir e desenvolver conhecimentos e capacidade de compreensão sobre a adaptação das várias formas de exercício físico às populações-alvo, recorrendo aos conhecimentos da pedagogia do desporto.
  7. Possuir capacidade para integrar conhecimentos e encontrar soluções adequadas às necessidades dos praticantes de forma a dar resposta a objetivos realistas, bem como utilizar a atividade física nos contextos da intervenção primária e secundária na saúde, promovendo-a de forma adequada;
  8. Possuir capacidade de intervenção adequada em caso de acidente ou desconforto, recorrendo às estratégias da prevenção, segurança e emergência;
  9. Possuir capacidade de interpretar resultados e conclusões de estudos científicos, e comunicá-los de forma clara a especialistas e não especialistas, recorrendo às técnicas da metodologia da investigação em desporto e à epidemiologia;
  10. Possuir capacidade de adquirir aprendizagens ao longo da vida com vista à atualização das informações quer de ordem técnica quer de ordem científica.

Especificamente, pretende-se fornecer uma formação profissionalizante e especializada relativamente às condicionantes da saúde e da condição física das populações em fases especiais da vida, e às condicionantes dos principais problemas de saúde que afetam as populações dos países ocidentais, incluindo os aspetos ocupacionais, que são potencialmente influenciadas pelos aspectos biopositivos e bionegativos da atividade física.

Coordenadora:

Professora Coordenadora Doutora Rita Santos Rocha (ritasantosro